Text Size
Entrar

Existem diversos irmãos e irmãs que colaboram grandemente na liderança da igreja, seja de forma direta ou indiretamente, porém debaixo da autoridade e administração do Conselho, que tem sob sua tarefa o cuidado com as vidas (membros comugantes, não comugante, frequentadores e visitantes), além da gerência administrativa/eclesiástica .

Além destes há diáconos que tem a nobre tarefa de cuidar: da arrecadação de ofertas para fins piedosos, o cuidado com os pobres , doentes e inválidos, a manutenção da ordem e reverência nos lugures reservados ao serviço divino e exercer a fiscalização para que haja boa ordem na Casa de Deus e suas dependências.

O Conselho da Igreja Presbiteriana Filadéfia é composto pelos seguintes servos do Senhor Jesus Cristo:

Rev. Anísio  Romanini - pastor efetivo e presidente do Conselho
Rev. Hélio Francisco da Silva - pastor auxiliar
Presb. Josué Freire - Secretário do Conselho
Presb. Rafael Conceição
Presb. Francielo Fardo
Presb. Francisco Flávio de Paula - - Vice-Presidente do Conselho

A Igreja Presbiteriana do Brasil, denominação da qual a I. P. Filadélfia faz parte, tem o seu sistemas de governo representativo, ou seja, os membros comungantes da igreja local, reunidos em assembléia geral extraordinária escolhem os presbíteros, cujo o mandato é de 5 anos e também podem eleger  os pastores sendo que o mandato  pode ser de até 5 anos - decidido também por votação.

O pastor (ou pastores) juntamente com os presbíteros formam o Conselho que tem a bendita tarefa de cumprir e fazer com que se cumpra a sua finalidade  que é:

"A Igreja Presbiteriana do Brasil tem por fim prestar culto a Deus, em espírito e verdade, pregar o Evangelho, batizar os conversos, seus filhos e menores sob sua guarda e “ensinar os fiéis a guardar a doutrina e prática das Escrituras do Antigo e Novo Testamentos, na sua pureza e integridade, bem como promover a aplicação dos princípios de fraternidade cristã e o crescimento de seus membros na graça e no conhecimento de Nosso Senhor Jesus Cristo”. ( Art. 2º. da Constituição da I.P.B.)

E resumidamente  assim trás o Art.83 - São funções privativas do Conselho:
a) exercer o governo espiritual e administrativo da Igreja sob sua jurisdição, velando atentamente pela fé e comportamento dos crentes, de modo que não negligenciem os seus privilégios e deveres;
b) admitir, disciplinar, transferir e demitir membros;
c) impor penas e relevá-las;
d) encaminhar a escolha e eleição de presbíteros e diáconos, ordená-los e instalá-los, depois de verificar a regularidade do processo das eleições e a idoneidade dos escolhidos;
e) encaminhar a escolha e eleição de pastores;
f) receber o ministro designado pelo Presbitério para o cargo de pastor;
g) estabelecer e orientar a Junta Diaconal;
h) supervisionar, orientar e superintender a obra de educação religiosa, o trabalho das sociedades auxiliadoras femininas, das uniões de mocidade e outras organizações da Igreja, bem como a obra educativa em geral e quaisquer atividades espirituais;
i) exigir que os oficiais e funcionários sob sua direção cumpram fielmente suas obrigações;
j) organizar e manter em boa ordem os arquivos, registros e estatística da Igreja;
l) organizar e manter em dia o rol de membros comungantes e de não-comungantes;
m) apresentar anualmente à Igreja relatório das suas atividades, acompanhado das respectivas estatísticas;
n) resolver caso de dúvida sobre doutrina e prática, para orientação da consciência cristã;
o) suspender a execução de medidas votadas pelas sociedades domésticas da Igreja que possam prejudicar os interesses espirituais;
p) examinar os relatórios, os livros de atas e os das tesourarias das organizações domésticas, registrando neles as suas observações;
q) aprovar ou não os estatutos das sociedades domésticas da Igreja e dar posse as suas diretorias;
r) estabelecer pontos de pregação e congregações; s) velar pela regularidade dos serviços religiosos;
t) eleger representante ao Presbitério;
u) velar por que os pais não se descuidem de apresentar seus filhos ao batismo;
v) observar e pôr em execução as ordens legais dos concílios superiores;
x) designar, se convier, mulheres piedosas para cuidarem dos enfermos, dos presos, das viúvas e órfãos, dos pobres em geral, para alívio dos que sofrem
z) exercer o governo e a disciplina e zelar pelos interesses da Igreja a que pertencer, bem como pelos de toda a comunidade, quando para isso eleito ou designado.

Acesso Restrito